Destaques

imagem.3

PNUD e parceiros anunciam resultados sobre pesquisa baseada no IDH: segundo estudo, desigualdade caiu

Por Jaqueline Pimentel

26/11/14 | 01:11

Sabidamente, a educação é a principal força motriz para a redução das desigualdades, uma vez que promove o acesso à informação, emprego e renda. Os apontamentos divulgados ontem pelo Programa das Nações Unidas pelo desenvolvimento mostram que é o investimento neste campo, o caminho para maior promoção do acesso e da equidade. A entidade mostrou que em 16 regiões metropolitanas do Brasil a desigualdade foi reduzida. Em todas houve avanços nos índices de educação. Manaus apresenta o menor IDHM entre as Regiões Metropolitanas que integram a análise. É destacado pelos pesquisadores, no entanto, que mesmo nas regiões metropolitanas mais carentes, como Manaus e Belém, há “bolsões” com muito alto desenvolvimento humano. No que se refere à longevidade, há cerca de 12 anos de diferença entre as Regiões Metropolitanas analisadas.

[Leia Mais] |

Pedro Alves Filho

Entrevista com Pedro Alves Filho: Pesquisador desenvolve metodologia de monitoramento de saúde no entorno do Comperj

Entrevista com Pedro Alves Filho

14/11/14 | 16:11

Pesquisador fala da metodologia de pesquisa sobre a vulnerabilidade social, na área do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), que vem desenvolvendo. O estudo, iniciado sob a coordenação do pesquisador Alberto Pellegrini Filho, que aposentou-se na coordenação do CEPI DSS e hoje sob a orientação da pesquisadora Patrícia Tavares Ribeiro, atual coordenadora, analisa os impactos nas condições de vida da população local. Pedro Alves Filho fala sobre como obras de grande dimensão geram mudanças e afetam o meio ambiente e a vida da população de múltiplas formas, o que inclui fatores que contribuem para o surgimento de complicações de saúde. “O monitoramento analítico do quadro de morbimortalidade, no município de Itaboraí e entorno do Comperj, visa contribuir para o entendimento, análise e monitoramento das iniquidades em saúde, assim como na proposição de estratégias para minimização de riscos de adoecimento e de morte que eventualmente possam emergir no decorrer do processo de implantação e consolidação do Complexo Petroquímico”, destacou ele.

[Leia Mais] |

O modelo britânico unificado de bem-estar no local de trabalho

Por Gabriela Lamarca e Mario Vettore - correspondentes do portal DSS Brasil na Inglaterra

07/11/14 | 02:11

Condições de trabalho equânimes são fundamentais para a saúde dos trabalhadores. Estes, por sua vez, representam uma parcela significativa do componente econômico e produtivo de um país. Boas condições de trabalho, além de serem a maneira mais justa e coerente de incentivar a produção e a satisfação em empresas públicas e privadas, se convertem em menor absentismo por doença, menor rotatividade de pessoal e maior produtividade, ou seja, trabalhadores mais produtivos e seguros. No Brasil é crescente o interesse de muitas organizações no desenvolvimento de estratégias para valorizar seu quadro de funcionários, estabelecendo as condições necessárias para que tenham um bom desempenho, satisfação e bem-estar. Já no Reino Unido, no início do mês de junho desse ano, foi lançada a “Carta de Bem-estar no Trabalho”. Nesta carta foram revisitadas e reforçadas as recomendações relacionadas aos ambientes de trabalho saudáveis ​​e a necessidade de todas as organizações trabalharem, por meio de recomendações únicas, para melhorar a saúde e o bem-estar de seus funcionários.

[Leia Mais] |

Comentários Recentes