Arquivo de Experiências

imagem.3

PNUD lança o Prêmio Mais Movimento

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no Brasil lança o Prêmio Mais Movimento. Com abrangência nacional, o prêmio vai identificar e chancelar três iniciativas inovadoras que promovam a prática regular da atividade física, em todas as faixas etárias.
O Prêmio Mais Movimento tem como objetivo conscientizar a sociedade sobre a importância da prática de atividade física. Segundo a Organização Mundial da Saúde, apenas 30% da população é fisicamente ativa. Desses, somente entre 2% e 5% fazem exercícios em volume ideal (30 minutos de atividade por dia). No Brasil, cerca de 300 mil pessoas morrem por ano de doenças associadas diretamente à inatividade física.

Por PNUD Brasil | 11/05/16 - 15:05 | [Leia Mais] |

Projetos socioeducativos na Inglaterra para redução de desigualdades sociais

Indivíduos com pouca escolaridade e carentes de competências e habilidades específicas para o trabalho estão à margem da sociedade e têm oportunidades de vida reduzidas. São aqueles que se encontram na base do gradiente social e, portanto, são os mais vulneráveis. A falta de políticas socioeducativas, baseadas nos princípios da igualdade de oportunidades educacionais e de inclusão social, não tem prevenido a ocorrência de desigualdades na vida adulta, aumentando a distância entre os extremos do gradiente social. Dar a cada criança e sua família o melhor começo possível na vida, inclusive (e principalmente) em termos educacionais, é fundamental para reduzir as desigualdades em saúde em todo seu curso da vida. O HIPPY (Home Instruction Program for Preschool Youngsters), é um dos programas citados no relatório ‘Tackling Priority Public Health Conditions through the Social Determinants of Health’ do Institute of Health Equity. Seu princípio preconiza o estímulo às interações positivas entre pais e filhos, condição que desempenharia um papel fundamental na aprendizagem das crianças, aumentando significativamente o seu potencial.

Por Gabriela Lamarca e Mario Vettore - correspondentes do portal DSS Brasil na Inglaterra | 23/10/14 - 02:10 | [Leia Mais] |

Horta urbana na Inglaterra/ Foto: Gabriela Lamarca

Série sobre agrotóxicos (2)- Hortas urbanas: modelo inglês de agricultura de subsistência

Iniciando nossa série sobre agrotóxicos, mostramos alternativas saudáveis para o cultivo de alimentos. Em Sheffield, uma das quatro maiores cidades da Inglaterra, a prefeitura gerencia mais de 3.000 lotes situados em mais de 70 áreas diferentes na cidade e arredores. Esses lotes são oferecidos a baixo custo para os moradores da cidade que desejam cultivar vegetais, frutas e ervas para consumo próprio, além de flores. Esse é um sistema muito antigo, mas ainda tão promissor e interessante que possui uma lista de espera com cerca de 2.300 interessados. Esse sistema de hortas urbanas pode ser considerado uma forma de agricultura de subsistência, pois é realizado em terrenos pequenos e médios, possui mão de obra familiar, necessita de baixa capitalização e baixa tecnologia, e tem produtividade reduzida.

Por Gabriela Lamarca e Mario Vettore- correspondentes do portal DSS Brasil na Inglaterra | 03/09/14 - 12:09 | [Leia Mais] |

imagem.3

Nottingham (Inglaterra): estratégias para um peso saudável

A obesidade é uma condição fortemente associada à mortalidade prematura, ao aumento do risco para várias doenças, incluindo doenças cardiovasculares, acidente vascular cerebral e câncer, além de contribuir para a variação na expectativa de vida entre diferentes grupos sociais. Seguindo a série de notícias apresentadas pelo nosso Observatório sobre políticas de saúde no Reino Unido, o programa ‘Healthy Weight Strategy for Nottingham City 2011-2020’ é apresentado como uma gama de ações em diferentes níveis para crianças, adultos e famílias. São ações de prevenção em nível populacional, tendo como alvo o ambiente; ações orientadas, como a melhoria da nutrição e atividade física; e outras, como cirurgias e orientações dietéticas individuais.

Por Por Gabriela Lamarca e Mario Vettore- correspondentes do portal DSS Brasil na Inglaterra | 21/08/14 - 14:08 | [Leia Mais] |

FOTOLIA2

Como os médicos ingleses que atuam na clínica médica lidam com a redução das desigualdades sociais em saúde?

A prática da clínica médica deve proporcionar, idealmente, um impacto positivo sobre a redução das desigualdades da saúde. Essa redução deve ocorrer em vários níveis, incluindo cuidados clínicos individuais e o engajamento comunitário. Na Inglaterra, apesar da longa caminhada teórica em prol da redução das iniquidades em saúde, permanece ainda certa “tensão” na prática no que diz respeito ao envolvimento dos médicos generalistas. Isso é particularmente relevante em relação ao tipo de abordagem para lidar com as desigualdades sociais da saúde, tais como a discussão entre a abordagem individual (cuidados em saúde em nível dos indivíduos) versus a abordagem populacional.

Por Gabriela Lamarca e Mario Vettore, correspondentes do Portal DSS Brasil na Inglaterra | 13/08/14 - 02:08 | [Leia Mais] | 2 Comentários »

sure start

Centros de educação infantil ‘Sure Start’: trabalhando para melhoria do bem-estar nos primeiros anos de vida

Em notícia anterior tivemos a oportunidade de apresentar o documento “If you could do one thing…”. E não poderíamos deixar de relatar mais uma das propostas apresentadas, principalmente pela sua potencial aplicabilidade na realidade brasileira. Na Inglaterra, as crianças só tem direito ao ensino público gratuito a partir dos 4 anos de idade. Os centros ‘Sure Start’ acolhem crianças a partir dos 2 anos de idade com aprendizagem precoce e oferece uma rede de cuidadores e creches. Medida sobre impacto da educação e de cuidados na primeira infância na melhoria do bem-estar vem bem ao encontro a uma das nossas maiores prioridades na redução das desigualdades sociais em saúde: a melhoria no indicador de educação infantil.

Por Gabriela Lamarca e Mario Vettore | 24/07/14 - 13:07 | [Leia Mais] |

A experiência de Sheffield (Inglaterra) na redução das desigualdades sociais da saúde

Embora seja uma cidade de base econômica industrial, os espaços verdes ocupam 61% da cidade, o que a torna a cidade com mais árvores por habitantes da Europa, Sheffield é a terceira maior cidade metropolitana da Inglaterra. É caracterizada pela diversidade sociocultural, com cerca de 20% de sua população de etnias negras ou minoritárias e uma significativa comunidade estudantil. Conheça a experiência local de combate às desigualdades sociais de saúde.

Por Gabriela Lamarca e Mario Vettore- correspondentes do portal DSS Brasil na Inglaterra | 30/01/14 - 08:01 | [Leia Mais] |