Posts marcados como " Políticas Públicas em Saúde "

Sala de Convidados

Tuberculose e Determinantes Sociais da Saúde

Nos últimos 10 anos, a doença teve uma queda de 20% no país, segundo dados do Ministério da Saúde e também houve redução na sua taxa de mortalidade, que no período caiu de 2,6 mortes por 100 mil habitantes para 2,2 mortes para cada 100 mil. Com os números que vem obtendo, o Brasil conseguiu alcançar a meta do Objetivo do Milênio de Combate à Tuberculose. Apesar do progresso, ainda ocupamos o 17º lugar entre os 22 países responsáveis por 80% de todos os casos da doença no mundo. Ainda há um longo caminho a percorrer, especialmente entre as populações mais vulneráveis socialmente, que ainda sofrem um grande risco de contrair tuberculose.
O programa Sala de Convidados, explicou como a incidência de tuberculose está diretamente ligada aos determinantes sociais da saúde.

Patricia

Saúde e determinantes sociais no território federativo

“O futuro do setor Saúde depende de como a democracia e a federação brasileiras serão consolidadas”, afirma Patricia Tavares Ribeiro, coordenadora do Centro de Estudos, Políticas e Informação sobre Determinantes Sociais da Saúde, da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Ensp/Fiocruz). Para a pesquisadora, a Saúde não pode ser pensada separadamente da política, do contexto histórico, social, cultural e territorial. Nesta entrevista, ela analisa o que precisa avançar, hoje, para que a equidade e a universalidade do Sistema Único de Saúde (SUS) se mantenham como princípios na agenda das políticas de saúde no futuro. “Nos próximos 20 anos, um caminho a explorar pode ser o de soluções de governança territorial na federação brasileira”, defende.

Entrevista com Patricia Tavares Ribeiro por Renata Leite | 16/05/16 - 22:05 | [Leia Mais] |

Carlos  Machado

Novos padrões de vida e consumo para o planeta e a saúde

“Se não enfrentarmos as desigualdades sociais pelo viés da distribuição global de recursos não alcançaremos a sustentabilidade ambiental necessária”. A afirmação é do pesquisador Carlos Machado, coordenador do Centro de Estudos e Pesquisas em Emergências e Desastres em Saúde da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Ensp/Fiocruz). Como colaborador da rede Brasil Saúde Amanhã, Carlos investiga os impactos da atual crise ambiental na qualidade de vida das populações e no setor saúde no horizonte dos próximos 20 anos. Nesta entrevista, ele aponta o paradoxo de um modelo de desenvolvimento que, ao mesmo tempo, aumenta a expectativa de vida e compromete os sistemas naturais e a permanência da espécie humana no planeta.

Entrevista com Carlos Machado por Bel Levy - Equipe Brasil Saúde Amanhã | 11/05/16 - 17:05 | [Leia Mais] |

paulobuss

Ex-presidente da Fiocruz é nomeado comissário da Opas

A comissão aprofundará os conhecimentos sobre os principais determinantes sociais da saúde nas Américas, com forte ênfase sobre fatores que influenciam a saúde como gênero, etnicidade, economia, respeito aos direitos humanos, cultura, política e meio-ambiente. O grupo foi estabelecido pela Opas/OMS com o propósito de avaliar as associações entre as desigualdades sociais e os índices de saúde no continente, para então formular recomendações práticas e eficazes em termos de políticas públicas capazes de reduzir as inequidades nas Américas. A comissão trabalhará de acordo com a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, das Nações Unidas, e com o Plano Estratégico 2014-2019 da Opas/OMS.

Por André Costa - Agência Fiocruz de Notícias/AFN | 11/05/16 - 15:05 | [Leia Mais] | 1 Comentário »

imagem.3

PNUD lança o Prêmio Mais Movimento

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no Brasil lança o Prêmio Mais Movimento. Com abrangência nacional, o prêmio vai identificar e chancelar três iniciativas inovadoras que promovam a prática regular da atividade física, em todas as faixas etárias.
O Prêmio Mais Movimento tem como objetivo conscientizar a sociedade sobre a importância da prática de atividade física. Segundo a Organização Mundial da Saúde, apenas 30% da população é fisicamente ativa. Desses, somente entre 2% e 5% fazem exercícios em volume ideal (30 minutos de atividade por dia). No Brasil, cerca de 300 mil pessoas morrem por ano de doenças associadas diretamente à inatividade física.

Por PNUD Brasil | 11/05/16 - 15:05 | [Leia Mais] |

Sem título

“O maior desafio do SUS é político”, afirma Jairnilson Paim, em aula aberta na Fiocruz

Abordando os desafios do SUS a partir de uma perspectiva histórica sobre a complexidade das relações políticas vigentes no país, o convidado fez uma profunda observação sobre os diferentes projetos de saúde pública que se encontram em disputa por diversos grupos sociais e políticos, e detalhou fragilidades e também ataques ao modelo de sistema criado a partir da transição democrática no Brasil.
Paim deu início a sua apresentação relembrando o contexto histórico da reforma sanitária, da qual participou ativamente, e o momento da discussão e criação do Sistema Único de Saúde. Ele descreveu a diversidade de atores que coletivamente contribuíram com ideias e se mobilizaram pelo projeto de democratização da saúde.

Por André Bezerra - Icict/Fiocruz | 05/05/16 - 16:05 | [Leia Mais] |

A presidenta do IBGE, Wasmália Bivar, disse que os indicadores são a dimensão técnica das políticas públicas para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.  Elza Fiúza/Agência Brasil

Desenvolvimento sustentável: 231 indicadores vão medir progresso dos ODS

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apresentou a instituições formadoras e usuárias de informação no Brasil os Indicadores Globais de Desenvolvimento Sustentável para Monitoramento da Agenda 2030. São 231 indicadores construídos para fazer o acompanhamento e medir o progresso na implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).
Os 17 ODS, expressos em 169 metas, representam o eixo central da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, que entrou em vigor no dia 1º de janeiro último. Eles vão orientar as ações nas três dimensões do desenvolvimento sustentável – econômica, social e ambiental – em todos estados-membros das Nações Unidas até 2030.

Por Andreia Verdélio – Agência Brasil | 02/05/16 - 18:05 | [Leia Mais] |